terça-feira, 13 de novembro de 2012

Crescimento e desenvolvimento: aspectos fisiológicos e nutricionais na infância






Crescimento

O crescimento infantil não se restringe ao aumento de peso e da  altura, mas caracteriza-se por um processo que envolve a dimensão corporal e a quantidade de células.
       O crescimento longitudinal ou ganho de altura é proporcionalmente mais longo que o aumento de peso. Uma criança no primeiro ano de vida triplica o seu peso de nascimento, enquanto que a estatura aumenta em 50% no mesmo período.  
     Assim, na ocorrência de déficit nutricional em qualquer idade, a altura não sofre um impacto imediato, mas o peso sim. Daí a importância de manter a criança com um peso adequado. Até os dois anos de vida o crescimento reflete as condições do nascimento (gestação) e ambientais (nutrição) e só a partir dos dois anos de idade o potencial genético passa a ter impacto sobre o crescimento da criança.     
     Do primeiro ao terceiro ano ocorrem modificações importantes no formato corporal. As pernas tornam-se mais longas e a criança começa a perder a gordura de bebê, que aos 6 meses representa 25% do peso total. Ocorre o desenvolvimento da massa muscular que corresponde à metade do peso ganho nesse período. A erupção dentária, importante índice de maturação, pode ser relacionada, quando atrasada, com alguns tipos de atraso no crescimento.

A partir de três ou quatro anos, a criança apresenta velocidade constante de crescimento, apresentando ganho médio de 2 a 3 kg de peso e de 5 a 7 cm de comprimento por ano.  

Desenvolvimento

 O processo de desenvolvimento da criança – representado pela capacidade de realizar funções é acelerado nos primeiros meses de vida, de tal forma, que aos 4 meses, o bebê já é capaz de sentar-se, com o apoio; aos 5 meses, senta-se sem o apoio e sustenta firmemente o pescoço; dos 6 aos 8 meses, engatinha; aos 9 meses fica em pé com apoio e por volta dos 12 meses, é capaz de caminhar livremente. No entanto, 20% das crianças andam sem ter engatinhado sem que isso indique qualquer anormalidade. 

Todo o processo biológico e de desenvolvimento do lactente pode ser influenciado pela prática alimentar nos primeiros meses de vida.

Incentivar a criança para tomar líquidos em copos e deixá-los manipular alimentos são excelentes estímulos para seu desenvolvimento normal.   

    A prática do aleitamento materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida vai prevenir as alergias alimentares, a desnutrição, a obesidade, a anemia, as dificuldades nutricionais, o diabetes melitus e a constipação  intestinal.

 

Avaliação nutricional na Creche UFBA

       Ao avaliar o estado nutricional da criança, o profissional de saúde tem à sua
disposição diferentes técnicas e instrumentos.
     Na nossa prática, usamos apenas as medidas antropométricas (peso e altura) as quais avaliam o volume corporal total e o crescimento linear respectivamente. 

      A estatura é o termo utilizado para comprimento (crianças menores de 2 anos, que são  medidas deitadas) e altura (crianças com mais de dois anos que são medidas de pé). 

Para realizar um diagnóstico antropométrico é necessário um ponto de corte. A classificação é o estabelecimento de pontos de corte para definir os limites da normalidade.  
   Neste caso usamos o percentil que é a distribuição dos indivíduos de uma determinada amostra populacional em relação às medidas antropométricas.

Índices

P/I = Peso por idade - expressa a relação existente entre a massa corporal e a idade cronológica da criança. É o índice utilizado na avaliação do estado nutricional, contemplado na Caderneta de Saúde da Criança, principalmente na avaliação do baixo peso. É muito adequada para o acompanhamento do ganho de peso e reflete a situação global da criança, mas não diferencia o comprometimento nutricional atual (ou agudo) dos pregressos (ou crônicos). Por isso, é importante complementar essa avaliação com outro índice antropométrico.

P/E = Peso por estatura – Esse índice dispensa dados sobre a idade e expressa a harmonia entre as dimensões de massa corporal e estatura. É utilizado tanto para identificar o emagrecimento quanto o excesso de peso da criança.

E/I = Estatura por idade -  Expressa o crescimento linear da criança. Na condição de índice que melhor aponta o efeito cumulativo de situações adversas sobre o crescimento da criança, é considerado o indicador mais sensível para aferir a qualidade de vida de uma população.

Os gráficos abaixo expressam os resultados obtidos a partir da avaliação nutricionional das crianças da Creche UFBA neste mes.

  •  Grupo Berçário




  •  Grupo 1

     

  •  Grupo 2



  •  Grupo 3

    A partir da avaliação nutricional realizada utilizando como indicador a avaliação antropométrica, percebemos que o crescimento e desenvolvimento das crianças estão adequados para idade e altura.

Fontes:


  • Nutrição da gestação á adolescência de Márcia Regina Vitolo, 2003. 
  • Avaliação nutricional da criança e do adolescente – Manual de Orientação / Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. – São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia, 2009.

 

 

 






 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Saiba, seu comentário é muito importante!